Bem-vindo à página oficial da Assembleia da República

Nota de apoio à navegação

Nesta página encontra 2 elementos auxiliares de navegação: motor de busca (tecla de atalho 1) | Saltar para o conteúdo (tecla de atalho 2)
 
História

Biblioteca nos anos 40

Sala de leitura da Biblioteca da Assembleia Nacional nos anos 40 do século XX, Bertrand & Irmãos.

Situada no Andar Nobre do Palácio de São Bento, a Biblioteca Passos Manuel ocupa quatro salas do espaço onde outrora estavam instalados os antigos dormitórios dos monges do Mosteiro de São Bento da Saúde. A sua origem remonta à antiga Biblioteca das Cortes, criada em 1836 por decreto do Ministro Manuel da Silva Passos para o serviço do Corpo Legislativo, inicialmente localizada no antigo coro da igreja beneditina (atual Salão Nobre). Reunia, então, cerca de 7300 volumes provenientes do Depósito Geral das Livrarias dos Extintos Conventos, criado em 1834.

Em 1921, com a aprovação do plano de organização biblioteconómica, foi determinada a sua instalação definitiva no local onde hoje se encontra. Porém, só em 1936, já durante o Estado Novo e com a designação de Biblioteca da Assembleia Nacional, foi projetada por Adolfo Marques da Silva e mobilada com estantes em dois pisos com galerias de acesso, mesas de leitura e cadeiras de madeira de carvalho, procurando recriar o ambiente de uma biblioteca conventual renascentista.

Após a Revolução de 25 de Abril de 1974, a Biblioteca passou a ser designada por Biblioteca da Assembleia da República,  sendo remodelado o mobiliário, do qual se mantêm ainda algumas peças na sala principal. Ao centro da sala encontra-se o busto de Passos Manuel, esculpido por Anatole Calmels.

Em 2017, passou a designar-se Biblioteca Passos Manuel.

O seu acervo conta com mais de 180 000 volumes, sendo a sua maioria relacionada com a atividade parlamentar, e os restantes sobre Direito, Ciência Política, História, Economia, Estatística e textos de organizações internacionais. A Biblioteca possui, ainda, um fundo antigo de documentos reservados, onde se conservam exemplares dos séculos XVI a XVIII.

Ver também o artigo História da Biblioteca da Assembleia da República